Monday, November 2, 2009

Addio Alda, grazie per aver condiviso il tuo cuore./Adeus Alda, obrigada por ter compartilhado o teu coração



(...) Riottosa a ogni tipo di amore
sei entrato tu a invadere il mio silenzio
e non so dove tu abbia visto le mie carni
per desiderarle tanto.
E non so perché tu abbia avuto il mio corpo
per poi andartene
con il grido dell'ultima morte.
Se mi avessi strappato il cuore
o tolto l'unico arto che mi fa male
o scollato le mie giunture
non avrei sofferto tanto
come quando tu un giorno insperato
mi hai tolto la pelle dell'anima.
* 
(...)Rixosa a todo tipo de amor
entraste tu para invadir o meu silêncio
e não sei onde vistes as minhas carnes
pra desejá-las tanto.
E não sei porque tivestes meu corpo
para logo ir-te
com o grito da última morte.
Se me houveste arrancado o coração
ou tirado-me o único membro que me dói
ou despegado as minhas juntas
não teria sofrido tanto
como quando tu um dia inesperado
tiraste-me a pele da alma.
Alda Merini          
Tradução Francesca Cricelli  


3 comments:

Marcelo Mayer said...

traduzir poema não é tão simples. na verdade NÃO é simples. e vc conseguiu deixar sua identidade nela, ao mesmo tempo, o corpo de poeta (odeio a palavra poetiza)

Rafael said...

Realmente, traduzir poesia é complicado... Muito bom mesmo...
Bjs

Raiça Bomfim said...

Que belo!